Sônia Madruga

Sônia Madruga

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Sobre costurar e costureiras




Antes de entrar na Faculdade de Moda, eu não sabia costurar muito bem. Pregava botões e alinhavava com maestria, o que minha mãe teve o carinho de me ensinar, mas nada mais que isso.
Foi lá que aprendi o que sei. Mas mesmo assim, eu não sou a expert em costura, mas aprendi a orientar e saber o que realmente quero.
Acho que se a figurinista não domina a arte de costurar (porque pra mim é uma ARTE mesmo), ela tem que, no mínimo saber exatamente o que quer e como orientar sua costureira.  E até muito mais importante, talvez, seja saber lidar com ela. A fama é indiscutível! Costureiras, muitas vezes, tendem a ser 'enroladas', atrasam, ou mudam tudo o que estava no desenho. E não adianta, a responsabilidade é SUA!

O que fazer?

1. Acompanhar o trabalho dela - não adianta entregar os tecidos e os desenhos, dar uma palavrinha rápida e só voltar no dia de pegar tudo pronto. Se o prazo é uma semana pra entregar, por exemplo, visite-a no meio da semana pra saber como estão indo as coisas e evitar os 'elementos surpresa' que a gente tanto odeia.

2. Fazer o desenho técnico - a costureira não tem como adivinhar que aqueles rabiscos em aquarela e nanquim significam um franzido, ou babadinhos, ou até aplicação de plumas . Ter um bom desenho técnico significa domínio do que você quer para seu figurino. Pode ser à mão, contando que seja técnico, vale muito à pena.

3. Mentirinhas amigas - Dizer que você precisa para 'data tal', mas que na verdade é só pra duas semanas depois, evita, e MUITO, o velho conhecido stress causado pelas enroladas.


Eu aprendi essas coisas no tapa. Ah se alguém tivesse me falado antes... :)


Aproveito para deixar um link de uma matéria incrível, do Fashion Bubbles, sobre a História da Costura e Evolução do Pret-a-Porter.